Coração de papel


Engraçado como a vida é…os anos vão passando e como vivemos numa geração onde queremos a independência a todo custo os relacionamentos tendem a durar menos tempo, assim como nosso humor que varia todos os dias, a toda hora. 

Com isso, nosso coração vira um coração de papel. No começo de uma história de amor com aquela pessoa o papel é uma folha em branco, que conforme o tempo for passando a história vai sendo escrita…

Até que chega o fatídico dia do ponto final. Aquele dia sem vírgulas, em que não tem mais conversa. Talvez com vários pontos de exclamação, de discussões e brigas. Talvez com vários pontos de interrogação, de perguntas não respondidas. Mas o ponto final sempre chega. 

Assim fazemos do nosso coração uma bolinha de papel….daquelas que amassamos quando estamos com muita raiva e decepção por mais um ponto final na nossa vida amorosa. Jogamos a bolinha na cesta do lixo…e nisso lá se vai mais outra tentativa de uma folha de papel se tornar um livro extenso, com várias páginas…com final feliz. 

Nova folha em branco vem pro coração…que fica ali…aguardando a chegada de um novo amor, de uma nova história com várias vírgulas e, de preferência, sem outro ponto final. 

Porém a vida sempre escreve certo por linhas tortas…e às vezes essas linhas se entortam tanto que acabam perdendo o sentido de palavra. Afinal por que estaríamos com o protagonista dessa história que não faz mais sentido? Talvez o ponto final seja o início do fim de um ciclo vicioso, de maus tratos a nós mesmos em prol de um amor de Disneyland…

Pontos finais existirão e o coração de papel vai virar bolinha no lixo algumas vezes….quantas forem necessárias pra nos entendermos que a vida escreve certo por linhas tortas…mas independentemente de estar torta ela tem que ser leve, doce, com vírgulas, pontos de interrogação na comunicação do relacionamento…Se houve ponto final, é porque há um início. 

Na próxima folha em branco, pode ser que venha uma história sem fim. Quem sabe? Só mesmo escrevendo-a…


A vontade de apaixonar correndo o risco de sofrer é muito mais forte do que a dor de nunca ter tentado. 

Advertisements

2 Comments Add yours

  1. Marcelo Gerin says:

    😉 Não só no amor existem os famigerados “ponto final”, vemos muitas amizades também por esse (des)caminho. Espero que a nossa amizade fique sempre nos “ponto parágrafo”, para que possamos, mesmo a distância, continuarmos sempre a redigir novas linhas! Minha reverência! Bjs

    Liked by 1 person

  2. Cassio says:

    Bonito e , infelizmente verdadeiro, texto.

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s